Search

Content

sexta-feira, 9 de setembro de 2016
"Devemos considerar a natureza não apenas pela sua riqueza e utilidade, mas considerá-la sob o prisma da beleza. Mas mesmo isso não basta. Devemos ainda considerar o seu mistério, sua impenetrabilidade; vê-la em sua sublimidade, erguendo-a acima da antinomia: belo ou feio. Não devemos buscar, mas encontrar; julgar, mas ver e compreender, aspirar e elaborar o recebido. Da floresta e do prado outonal, da geleira e da seara madura deverão fluir, através de nossos sentidos, a força vital e espiritual, o sentido e o valor da vida. Nossas peregrinações por uma região devem fomentar os nossos mais elevados sentimentos, nossa harmonia com a totalidade cósmica. Não deve ser um esporte, nem um hobby. Não devemos, instigados por um interesse qualquer, contemplar e apreciar a montanha e o lago e o céu, mas nos mover e nos sentir abrigados em seu meio, que, como nós, são partes de um todo e formas visíveis de uma ideia; cada um, com suas próprias aptidões e com os meios providos por sua educação e cultura, como artista ou cientista ou filósofo. Devemos sentir todo o nosso ser, e não apenas o nosso corpo, como afim e integrado no todo. Só assim conseguimos realmente contatar e compreender a natureza."

Hermann Hesse - em A Arte dos Ociosos

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

Quem sou eu

Minha foto

Feirense, graduada em Administração, e artista plástica  especialista no desenho retrato com uma abordagem realista e sóbria, que utiliza exclusivamente a técnica do pastel, iniciou nas artes ainda na infância tem como foco fundamental a expressão dos rostos, seus temperamentos e a psicologia da expressão, a tradução de um sentimento, de uma emoção fugidia e instantânea. Começou a expor em 1996 após concluir o curso no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), é uma das fundadoras do Grupo de Arte contemporânea de Feira de Santana, pesquisadora da arte rupestre com exposição desse tema em 2007, e amante da arte contemporânea, na qual aborda temas polêmicos.
"Só me dirijo às pessoas capazes de me entender, e essas poderão ler-me sem
perigo."Marquês de sade

Seguidores

Redes