Search

Content

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

ops





Uhuuuu hj é sexta-feira o dia que eu mais gosto na semana, nem precisa dizer porque né? Rsrsrs

Adoro acordar(já acordo rindo)  perceber que estou viva,com muita saude... Nossa!!!! Que delicia de vida!!!

Amo tudo que eu tenho e principalmente me AMO.

A minha filosofia de vida é fazer tudo quero e me der prazer,sem medir esforços. Sou dona da minha vida e que se dane o resto do mundo hehehe ESTOU NESTA VIDA PARA SER FELIZ E VOU SER ATE MORRER.

**** Segue um texto de uma escritora que eu amo Martha Medeiros











                    A Morte Devagar












Morre lentamente quem não troca de idéias, não troca de discurso, evita as próprias contradições.



Morre lentamente quem vira escravo do hábito, repetindo todos os dias o mesmo trajeto e as mesmas compras no supermercado. Quem não troca de marca, não arrisca vestir uma cor nova, não dá papo para quem não conhece.



Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru e seu parceiro diário.
 Muitos não podem comprar um livro ou uma entrada de cinema, mas muitos podem, e ainda assim alienam-se diante de um tubo de imagens que traz informação e entretenimento, mas que não deveria, mesmo com apenas 14 polegadas, ocupar tanto espaço em uma vida.




Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o preto no branco e os pingos nos is a um turbilhão de emoções indomáveis, justamente as que resgatam brilho nos olhos, sorrisos e soluços, coração aos tropeços, sentimentos.



Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz no trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto atrás de um sonho, quem não se permite, uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.


Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não acha graça de si mesmo.




Morre lentamente quem destrói seu amor-próprio. Pode ser depressão, que é doença séria e requer ajuda profissional. Então fenece a cada dia quem não se deixa ajudar.



Morre lentamente quem não trabalha e quem não estuda, e na maioria das vezes isso não é opção e, sim, destino: então um governo omisso pode matar lentamente uma boa parcela da população.


Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da má sorte ou da chuva incessante, desistindo de um projeto antes de iniciá-lo, não perguntando sobre um assunto que desconhece e não respondendo quando lhe indagam o que sabe. Morre muita gente lentamente, e esta é a morte mais ingrata e traiçoeira, pois quando ela se aproxima de verdade, aí já estamos muito destreinados para percorrer o pouco tempo restante. Que amanhã, portanto, demore muito para ser o nosso dia. Já que não podemos evitar um final repentino, que ao menos evitemos a morte em suaves prestações, lembrando sempre que estar vivo exige um esforço bem maior do que simplesmente respirar.



PERMITA-SE

1 comentários:

Anônimo
at: sexta-feira, setembro 11, 2009 disse...

TENHO UMA INVEJA BOA DE VC Q SABE VIVER A VIDA SEM MEDO DE ERRAR,DE SER FELIZ.ESSA FRASE COMBINA MUITO COMIGO"ESTAR VIVO EXIGE UM ESFORÇO BEM MAIOR Q SIMPLISMENTE RESPIRAR".
SEU BLOG ESTÁ MIM AJUDANDO MUITO VC NEM IMAGINA O QUANTO.
BEIJOS

Postar um comentário

Deixe o seu comentário

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

Quem sou eu

Minha foto

Feirense, graduada em Administração, e artista plástica  especialista no desenho retrato com uma abordagem realista e sóbria, que utiliza exclusivamente a técnica do pastel, iniciou nas artes ainda na infância tem como foco fundamental a expressão dos rostos, seus temperamentos e a psicologia da expressão, a tradução de um sentimento, de uma emoção fugidia e instantânea. Começou a expor em 1996 após concluir o curso no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), é uma das fundadoras do Grupo de Arte contemporânea de Feira de Santana, pesquisadora da arte rupestre com exposição desse tema em 2007, e amante da arte contemporânea, na qual aborda temas polêmicos.
"Só me dirijo às pessoas capazes de me entender, e essas poderão ler-me sem
perigo."Marquês de sade

Seguidores

Redes