Search

Content

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Conhecendo a minha profissão


Ela é vista como talentosa, sensível e criativa. Curiosa, gosta de pesquisar e é perseverante em tarefas difíceis. Esse é o meu perfil e dos artistas plásticos, conhecido por serem habilidosos em criar obras de arte nas mais diversas modalidades: pinturas, gravuras, colagens, desenhos, esculturas, instalações ou projetos multimídia.


(meu velho amigo artista Manoel Dessa)

Boa parte dos artistas plásticos são autodidata.



O Artista Plástico navega entre as inúmeras possibilidades de expressão artística do mundo em que ele vive. Hoje o mundo é praticamente comandado pelo domínio da imagem, da iconografia. Este profissional, portanto, não carecerá de recursos para trabalhar, neste universo povoado pela imagética.




Ele pode, assim, com todo potencial a sua disposição, produzir obras de arte – pinturas, esculturas, cerâmicas, desenhos, fotos, inúmeras esferas virtuais oferecidas pelo vasto campo da Internet, e as famosas instalações, que podem ser compostas por objetos aparentemente sem utilidade, materiais diversos e representações geradas virtualmente.



Com este arsenal não pertencente ao universo verbal, o artista pode se exprimir sobre o contexto em que ele vive, mobilizando para isso todo seu potencial, ou seja, sua originalidade; o conhecimento dos procedimentos técnicos que envolvem a produção visual, especialmente as noções cromáticas e os conhecimentos básicos do ofício de harmonizar os elementos que irão compor a obra de arte; capacidade de mobilizar sua aptidão motora e sensorial; e potencial perceptivo.



Este profissional, além da possibilidade de montar seu ateliê, pode atuar em museus, galerias e centros culturais, estruturando eventos artísticos e monitorias em mostras de artes, além de empreender estudos que tenham as obras da instituição como ponto de partida. Ele tem igualmente a oportunidade de produzir críticas de arte ou se devotar à docência acadêmica. O crescimento da Internet, com a proliferação contínua de sites, blogs e outras ferramentas, propicia também ao artista plástico exercer sua profissão neste ambiente tecnológico.

(Tela minha em exposição. Acrilico sobre tela 120x120 titulo"Apolinario")
Quem sabe faz ao vivo kkkk

O artista é muito mais que um mero reprodutor de técnicas, ele trabalha apaixonadamente, aliando suas emoções ao conhecimento das mais diversas linguagens artísticas, ao adquirir na graduação a observação de preceitos e normas, o saber ministrado pelos profissionais mais experientes, a habilidade de interagir com as pessoas a sua volta, com os outros artífices e especialmente com seus mestres, que muitas vezes atuam como pontes entre os estudantes e os artistas já inseridos no mercado. Nas salas de aula ele pode dilatar sua forma de ver o mundo e aprender a se comunicar com ele.

Tela minha em exposição no Museu

Atualmente há uma ampla gama de potencialidades artísticas, pois o número de suportes utilizados pelos artistas cresceu de forma espetacular no mundo moderno, principalmente com o advento do universo virtual. Nesta esfera a obra de arte não pode mais ser tradicionalmente conceituada como objeto que pode ser tocado. Há, assim, um vasto campo de trabalho a ser explorado pelo artista plástico. Vários profissionais iniciantes migram para as esferas da publicidade, da produção gráfica, do design, da elaboração de vitrines, das criações de figurinos ou de cenários televisivos e teatrais.

(meu mestre Herivelton Figuerêdo)

O artista plástico ainda não tem sua profissão regulada por leis, o que permite um maior incremento do mercado de trabalho, que exigirá do profissional apenas a habilidade necessária. O bom especialista poderá se aprimorar nos campos de design de objetos, da educação artística, da arte e do marketing, da museologia, da restauração de obras de arte, da história da arte, entre outros.
(amigo que é amigo >>> vai prestigiar) Hamilton Junior

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

Quem sou eu

Minha foto

Feirense, graduada em Administração, e artista plástica  especialista no desenho retrato com uma abordagem realista e sóbria, que utiliza exclusivamente a técnica do pastel, iniciou nas artes ainda na infância tem como foco fundamental a expressão dos rostos, seus temperamentos e a psicologia da expressão, a tradução de um sentimento, de uma emoção fugidia e instantânea. Começou a expor em 1996 após concluir o curso no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), é uma das fundadoras do Grupo de Arte contemporânea de Feira de Santana, pesquisadora da arte rupestre com exposição desse tema em 2007, e amante da arte contemporânea, na qual aborda temas polêmicos.
"Só me dirijo às pessoas capazes de me entender, e essas poderão ler-me sem
perigo."Marquês de sade

Seguidores

Redes