Search

Content

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Ainda vou surtar de vez

 Me considero uma mulher moderna, liberal. Será mesmo????? kkkk


Estou há algum tempo pra contar essa história aqui... Meu EX namorado(de muitos anos atrás) vive me dizendo que vai me processar por propaganda enganosa e que vai contar pra todo mundo que eu de liberal não tenho nada. Volta e meia alguém fica me questionando isso: o que é ser liberal?




Eu não estou aqui pra dizer pra ninguém o que é ou não é ser liberal. Tento apenas fazer as mulheres perderem alguns minutos (ou ganharem) pensando de um jeito divertido sobre a sua própria realidade. Claro que cada mulher tem uma realidade diferente da outra. Mas são tantas histórias parecidas.



Eu tenho 30 anos,kkk(resolvir que a minha idade parou aqui ) sou mãe duas vezes. Alguns me definem como precoce. Outros me definem como doida,autista etc. Outros desistiram de me definir. O preconceito tá aí debaixo do nariz de todo mundo, não tem jeito. A necessidade de rotular tudo e todos é algo que não dá pra combater.



A minha luta é pra tentar sobreviver nessa sociedade de consumo. Todos com seu carnezinho das Casas Bahia pagando a geladeira último modelo em 24 vezes. Não dá pra fazer crediário de pessoas mas temos visto uma liquidação ambulante de homens e mulheres. Não dá pra fechar os olhos pra isso.



Os best-sellers são os com a embalagem mais bonita. E pra isso, tem que malhar, tem que passar fome, tem que alisar o cabelo, fazer plástica, tem que usar roupa da moda, tem que ter carro, tem que ser inteligente... tem que ser perfeita. Mas existe mesmo perfeição?



Eu e algumas amigas, assim como alguns de vocês que me lêem, bem sabem que não. Mas é isso que o mundo exige da gente.



Essa cobrança que era invisível e agora além de visível é natural, vai nos enlouquecendo aos poucos. O despero em busca da perfeição para poder ser aceita e para poder realizar seus sonhos é o pai de tragédias pessoais, dramas incontáveis na vida de inúmeras pessoas. E nós, mulheres, nos tornamos vítimas da nossa própria armadilha.



O feminismo veio para conquistar direitos iguais mas conquistou apenas o acúmulo de funções. Hoje sou mãe, sou mulher, sou profissional, sou dona-de-casa....(eca) Até o dia que eu surtar e não conseguir ser mais nada. Não conseguir nem mais ser eu. kkk



E você pode achar que esse meu papo todo é pra dizer para não entrar nessa ciranda louca, pra protestar contra essa sociedade ou sobre o casamento. Não minhas amigas... me perdoem pelo que eu vou falar. Mas não façam isso. Eu á fiz e não dá certo. Fugir das cobranças é anestesia. Protestar se machucando é anestesia. Não se anestesie nunca. Corra atrás do que você quer e pague o preço por isso.



E o engraçado disso tudo é que  diminui meu peito anos atrás quando ter peito grande era horrivel hoje estou fora da moda. Como o mundo é patético..



Outro dia continuo a falar do preço que pagamos....






0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

Quem sou eu

Minha foto

Feirense, graduada em Administração, e artista plástica  especialista no desenho retrato com uma abordagem realista e sóbria, que utiliza exclusivamente a técnica do pastel, iniciou nas artes ainda na infância tem como foco fundamental a expressão dos rostos, seus temperamentos e a psicologia da expressão, a tradução de um sentimento, de uma emoção fugidia e instantânea. Começou a expor em 1996 após concluir o curso no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), é uma das fundadoras do Grupo de Arte contemporânea de Feira de Santana, pesquisadora da arte rupestre com exposição desse tema em 2007, e amante da arte contemporânea, na qual aborda temas polêmicos.
"Só me dirijo às pessoas capazes de me entender, e essas poderão ler-me sem
perigo."Marquês de sade

Seguidores

Redes