Search

Content

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Aprendendo a lidar com o fim do relacionamento

Pois é, a realidade lhe mostrou que não era essa pessoa. Que talvez possa até ser essa pessoa,
mas não nesse momento. Então mãos a obra, pois agora a oportunidade de se tornar uma
pessoa melhor está na sua porta.

Primeiro, levante e limpe as lágrimas. Auto-piedade não será um ponto a favor na sua vida,
bata a poeira do corpo e revise algumas coisas:

1- Tenha auto critica, procure avaliar o que você fez de certo e errado nesse
relacionamento. Não tenha medo de colocar seus erros para fora.

2- Aquilo tudo que você fez de certo, apenas continue fazendo no próximo
relacionamento (ou se acontecer de voltar com o antigo também vale o toque).

3- Todo ser humano tem seus defeitos, e ninguém deixará de ter defeitos. Se policie
quanto a eles, e faça de coração, o MÁXIMO para que eles se repitam menos vezes
possíveis. Uma coisa que acredito é que nascemos e morreremos com eles, afinal
não ter defeitos seria como quere ser Deus, o que é impossível. Mas é possível
sim, “adestrar” esses defeitos. E fazer com que eles não se tornem uma dor de cabeça
monstruosa na sua vida.

4- Por último, AMOR PRÓPRIO, esse é o mais importante de todos. A relacionamentos
que se acabam por que a uma das partes se entregou tanto a outra que esqueceu
de si própria. Não confunda amor próprio com arrogância, um arrogante pensa em
si 24 horas por dias e em qualquer circunstância. Já a pessoa com amor próprio sabe
respeitar os outros, mas não deixa que seu brilho se apague independente das pessoas
em volta.

Quando nascemos, começamos meio que “sozinhos” na vida, sua família começa a lhe
ensinar os primeiros passos na vida. Com o passar do tempo, VOCÊ começa a escolher quem
serão seus amigos, qual será sua profissão, o que é certo e errado na sua vida. Por fim, suas
experiências vão lhe moldando e fazendo se tornar ÚNICO(A) na Terra.

Pergunto então, porque essa pessoa significa o tudo agora? Por que alguém que conheceu em
um determinado momento de sua vida, agora significa o tudo?

Quando nos relacionamos com alguém, essa pessoa deve vir para somar e multiplicar, e não te

dividir e subtrair.

Não seja um egoísta, se foi deixado pelo namorado(a)/Marido(esposa), essa pessoa era seu
mundo e você fica ai, parado(a) na vida. Lembre-se, você TAMBEM É O MUNDO DE ALGUEM,
seja de um familiar, ou um amigo. Existe pelo menos uma pessoa que precisa de você, tanto

quanto você precisa da pessoa que lhe deixou. E essa pessoa lhe quer tão feliz, que pode ser
que seja seu próximo grande amor. E mesmo que não seja, e daí? Quer coisa melhor que
alguém que e preocupa com você de todo o coração?

Deixe que o tempo seja o senhor da razão. Se a separação foi por erros seus, então corrigir
seus atos e se tornar uma pessoa melhor é sua meta. Assim, um próximo amor (ou até mesmo
o mesmo), vai virar sua vida de ponta cabeça, e você vai experimentar o verdadeiro amor.

Se a outra pessoa que errou, nada de desespero. Procure se tornar uma pessoa ainda melhor,
tanto para sua própria autoestima, como para que o próximo (ou o mesmo, Vai saber?), amor
se torne algo inesquecível e ótimo.

Não se esqueça, valorize seu AMOR PRÓPRIO, e as pessoas QUE LHE AMAM DE VERDADE
(família, amigos, se apegue a sua religião também ajuda e muito!), e deixe o tempo mostrar o
caminho exato. Levante a poeira e limpe as lágrimas.

Aproveite o momento, reveja pessoas que à muito tempo nem um “olá” você deu. Vá
para lugares que ainda não conheceu ( até por que quando a gente tem uma outra pessoa,
acabamos abrindo mão de algumas coisas), conheça novas pessoas, aumente seu circulo
social ( vai que ai está o novo amor?), e aproveite a vida. Não se esqueça que o mundo ai fora
é enorme, e lhe oferece oportunidades de vivenciar tantas coisas boas e bacanas ( só tome
cuidado com os erros, e problemas que também vão aparecer ok?).

Fonte-internet

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

Quem sou eu

Minha foto

Feirense, graduada em Administração, e artista plástica  especialista no desenho retrato com uma abordagem realista e sóbria, que utiliza exclusivamente a técnica do pastel, iniciou nas artes ainda na infância tem como foco fundamental a expressão dos rostos, seus temperamentos e a psicologia da expressão, a tradução de um sentimento, de uma emoção fugidia e instantânea. Começou a expor em 1996 após concluir o curso no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), é uma das fundadoras do Grupo de Arte contemporânea de Feira de Santana, pesquisadora da arte rupestre com exposição desse tema em 2007, e amante da arte contemporânea, na qual aborda temas polêmicos.
"Só me dirijo às pessoas capazes de me entender, e essas poderão ler-me sem
perigo."Marquês de sade

Seguidores

Redes