Search

Content

domingo, 11 de outubro de 2009

Nem sei o que vou escrever

Bom dia amigos,acordei agora... 10:00 da manhã com uma puta dor de cabeça.
ontem foi muito bom, quando estou aqui em Salvador a diversão é sempre garantida.
Eu adoro essa liberdade. Adoro sentir tudo sem culpa, sem medo, sem preocupação. Adoro saber que não foi nada demais e ao mesmo tempo foi tudo, tudo que eu precisava. Adoro fugir do mundo por um tempo não ver nada além do meu momento. Definitivamente, eu nascir para ser livre. Eu não sei ser escrava de um sentimento. Não sei acordar de manhã pensando em alguém e ir deitar de noite ainda pensando. Eu não consigo planejar minha vida levando em conta outra pessoa e ODEIO submeter meus desejos aos dos outros. Eu nasci pra ser livre.  Onde ficaria a liberdade e o direito de amar na minha vida ?  qualquer amor com seus medos, inseguranças e lágrimas me dar  prazer. Olhando a minha volta eu vejo esses casaizinhos se esforçando pra tentar, abdicando de várias coisas, se colocando de lado e aproveitando uma felicidade ilusória.Não precisa deixar de ser livre para amar.
 Isso me dá vontade de pedir a próxima dose e aumentar a música pra não deixar que o tédio me domine. Minha carência passou sem aquela melação toda e sem a ajuda de pessoas menos interessantes. O sexo pode até ser a coisa mais gostosa que o homem inventou pra passar o tempo, mas o amor livre é sem dúvidas muito mais eficaz. Acho muito burro da  parte das pessoas perder tempo chorando e lamentando amores perdidos, achados, ou inventados. A partir de hoje tente se esforçar pra ser o mais prático(a) possível. As paixões se guarda na geladeira pro caso de achar utilidade pra elas algum dia. O amor, é imprescindivel pra que ele mantenha o coração aquecido nessas noites frias. E o resto do mundo que se foda
kkkk, foi mal ai... desculpa. espero q consigam me entender, para amar não precisa perder a liberdade.
beijaoooo

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe o seu comentário

Arquivo do blog

Total de visualizações de página

Quem sou eu

Minha foto

Feirense, graduada em Administração, e artista plástica  especialista no desenho retrato com uma abordagem realista e sóbria, que utiliza exclusivamente a técnica do pastel, iniciou nas artes ainda na infância tem como foco fundamental a expressão dos rostos, seus temperamentos e a psicologia da expressão, a tradução de um sentimento, de uma emoção fugidia e instantânea. Começou a expor em 1996 após concluir o curso no Centro Universitário de Cultura e Arte (Cuca), é uma das fundadoras do Grupo de Arte contemporânea de Feira de Santana, pesquisadora da arte rupestre com exposição desse tema em 2007, e amante da arte contemporânea, na qual aborda temas polêmicos.
"Só me dirijo às pessoas capazes de me entender, e essas poderão ler-me sem
perigo."Marquês de sade

Seguidores

Redes